Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Erotismo por Manu Hawk

Uso a poesia, o erotismo, como minha voz... Calada, contida.

Erotismo por Manu Hawk

Uso a poesia, o erotismo, como minha voz... Calada, contida.

14.11.13

Dias de Moto

Manu Hawk
Mais um dia chegou ao fim, e mais uma vez você reclamou meu atraso da mesma forma, parado no meio do corredor da empresa, apontando para o relógio! Engraçado que essa cena se repetiu inúmeras vezes, mas você fazia das mais variadas formas, dependendo do seu humor, rs.   Dois anos se passaram, trabalhávamos no mesmo horário, morávamos no mesmo bairro, tirávamos folga juntos, saíamos com os mesmos amigos e éramos amigos, somente isso. Todos juravam que havia algo além da (...)
11.11.13

Um Dia Qualquer...

Manu Hawk
Sábado/12h30min: Acordei cansada, mais uma noite péssima, sem dormir tranqüila, insone. No banho, ainda meio lenta, apoiei as mãos na parede, cabeça baixa, deixando a água deslizar pelo corpo. De repente despertei, lembrei que dia era, sim, como poderia ter esquecido? Rapidamente acabei o banho, corri para o telefone, precisava conferir a mensagem na secretária. 13h30min: Ao ouvir aquela voz confirmando o que queria, deixei meu corpo cair sobre a cama, sorri olhando para o teto. (...)
07.08.12

Toque-me

Manu Hawk
Toque-me Essa noite ouvi você por horas Som gostoso aos meus ouvidos Devagar, invadindo meus sentidos Sem pressa de ir embora. Imaginei como seria a sensação De ser essa guitarra em suas mãos De costa para você, colada no seu corpo Sentindo toda pulsação... Seus dedos percorrendo freneticamente As cordas (...)
16.07.11

Devaneio

Manu Hawk
Sonhei que poderia te alcançar tocar teu rosto enxugar tua lágrima ouvir tua voz sentir tuas mãos molhar tua boca apertar teu corpo num abraço forte intenso demorado desejado... Sonhei que poderia levitar desalinhar teus cabelos arranhar tuas costas roçar em tuas coxas b (...)
09.07.11

Sinfonia

Manu Hawk
A beleza do erotismo representada em três poemas (Toque-me, Sinfonia, Sinfonia a Dois) que criei ao som das cordas do maravilhoso John Petrucci (Dream Theater). Kisses mil