Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Erotismo por Manu Hawk

Uso a poesia, o erotismo, como minha voz... Calada, contida.

Erotismo por Manu Hawk

Uso a poesia, o erotismo, como minha voz... Calada, contida.

Hawk

Vôo baixo, rasteiro, perigoso, espreitando a caça. Busca incessante e amargurada de prazer. Prazer da carne, pele, corpo, entranhas, brutal. Sinto cheiro da caça no ar, macho, viril, voraz!

Num segundo aterrisso e circundo a caça, estamos frente a frente, olhares que devoram todo o corpo, bocas umedecidas, saliva em excesso, respiração ofegante, cheiro de suor, sexo exalando pelos poros. Pele e pêlos arrepiando, retesando, rompendo as roupas e exibindo de tesão.

Arqueio minhas asas, envolvo-o como uma predadora, derrubando-o pela mata. Mãos e pés imobilizados pelo meu corpo, olha-me sem pavor, deseja a dor, implora por esse calor. Respiro fundo, sinto o cheiro bem de perto, percorrendo com minha boca todo o corpo deliciosamente imóvel. Beijo, mordo, sugo com vontade e sorvo-lhe todo o prazer.

Numa metamorfose enlouquecida, recolho as asas, afio as garras, e assume a felina no cio, roçando nesse corpo, deslizando em seu suor e fazendo-o penetrar fundo, incessante e freneticamente induzido, até gozarmos enfurecidamente de tanto prazer!
Gotas de orvalho caem nos corpos entorpecidos, cheiro de absinto exala da pele, um último olhar, ergo minhas asas alçando vôo. Um vôo solitário, em busca desesperada de abrigo em braços que saibam amar.

(por Manu Hawk - 05/08/2004)