Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Erotismo por Manu Hawk

Uso a poesia, o erotismo, como minha voz... Calada, contida.

Erotismo por Manu Hawk

Uso a poesia, o erotismo, como minha voz... Calada, contida.

At The End of Day

O título desse pequeno Conto é também o título da música que estava ouvindo ao criá-lo. Clique no link e leia o Conto ouvindo a música.

 Música: At The End of Day
Artist: Gary Hughes
Album: Once and Future King - Part 1 (2003)
http://youtu.be/Ymqp-doo_sM

At The End of Day

O que uma imagem combinada com uma música pode criar em nossa mente? Na minha, felizmente, ou em muitos casos, infelizmente, pode criar cenas, passo a passo, ter movimento, cheiro, gosto, e às vezes causar dor. Agora, por exemplo, vejo sua foto, lindo, másculo, corpo perfeito, desejado. Imagem estática, mas começo a ouvir sua respiração, lenta, me aproximo, paro de frente pra você, minhas mãos se apoiam no seu peito, deslizam para suas costas subindo até a nuca, meus dedos entram pelos seus cabelos, seguram com vontade e te puxam. Um abraço perfeito, sinto seu coração disparar junto com o meu, nossas bocas se procuram, nuca, rosto, olhos, enfim juntas. Sinto o gosto de sua boca, línguas se exploram levemente, saliva deliciosa, aumentando o ritmo junto com a música, agora um beijo frenético, furioso, desesperado!

Solo seguido de mãos quentes, ansiosas, mexendo em minhas costas, trabalhando em sincronia, penetrando por todos os lados. Corpos suados se desejando, roçando, pulsando, implorando a exploração, invasão e exaustão do outro. Acoplamento enfim, rasgado, suado, doce, agitado, incansável, exatamente como dois circuitos transferindo energia, olhos nos olhos, queimando chorando, depravadamente corroendo nossos corpos e almas. Dueto musical, torpor, aninhamento de nossos corpos, sono enfim...

(por Manu Hawk)

2 comentários

Comentar post